Santa Izabel se engaja na coleta seletiva

A Comarca de Santa Izabel do Pará está empenhada em diminuir o impacto ambiental causado pela produção de resíduos. Desde o primeiro semestre de 2017, quando a coleta seletiva de materiais foi instituída no Fórum do município, a comarca tem destinado corretamente materiais recicláveis, como papel, plástico, vidro e metal, que são separados por servidores, magistrados, terceirizados e estagiários e encaminhados a uma cooperativa de reciclagem. Proposta pelo Núcleo Socioambiental do Tribunal de Justiça do Pará, a coleta seletiva é feita pela Associação de Recicladores de Águas Lindas – ARAL, que envia regularmente recicladores ao Fórum de Santa Izabel para recolher os materiais. A cada coleta, são retirados em média 27 quilos de papel e 9 quilos de plástico do Fórum da Comarca. O Fórum também funciona como posto de coleta de materiais de difícil reciclagem, como instrumentos de escrita, maquiagem, pilhas, baterias, medicamentos vencidos, eletrônicos e outros. Os objetos são encaminhados ao Núcleo Socioambiental, que providencia sua destinação correta. A ARAL é uma das cooperativas de reciclagem ligadas ao Núcleo Socioambiental do TJPA, e além do Fórum de Santa Izabel, a associação faz a coleta seletiva na sede do TJPA. A ARAL pertence à Rede Recicla Pará, que reúne cooperativas e associações de reciclagem e está presente em vários municípios do estado como Bragança, Vigia, Tailândia, São Miguel, Benevides, Ananindeua e Belém. Para Evelise Rodrigues, coordenadora do Núcleo Socioambiental do TJPA, a parceria com a associação, que promove o descarte correto dos resíduos das atividades do Fórum de Santa Izabel contribui para a promoção do desenvolvimento nacional sustentável, um dos valores do TJPA. A coleta seletiva de recicláveis faz parte do projeto de interiorização do programa Descarte Consciente, que integra a Agenda Ambiental do Judiciário, adotada desde 2009 pelo TJPA, e objetiva conscientizar e mobilizar magistrados, servidores, terceirizados e estagiários quanto à importância do uso consciente e racional de recursos.
Fonte:
TJ Para
10/01/2018 (00:00)
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia